quarta-feira, 24 de março de 2010

A importância do FAZ DE CONTA


JOGOS E BRINCADEIRAS DE FAZ-DE-CONTA



As crianças evoluem por intermédio de suas próprias brincadeiras e das invenções das brincadeiras feitas por outras crianças e adultos. Nesse processo, ampliam gradualmente a sua capacidade de visualizar a riqueza do mundo externamente real, e , no plano simbólico procuram entender o mundo dos adultos, pois ainda que com conteúdos diferentes, estas brincadeiras, possuem uma característica comum: a actividade do homem e suas relações sociais e de trabalho. Deste modo, elas desenvolvem a linguagem e a narrativa e nesse processo vão adquirindo uma melhor compreensão de si próprias e do outro.

No jogo do "Faz de conta" as crianças combinam situações reais com elementos da sua acção fantasiosa. Esta fantasia surge da necessidade da criança, como já dissemos, em reproduzir o quotidiano da vida do adulto da qual ela ainda não pode participar ativamente.
Porém, essa reprodução necessita de conhecimentos prévios da realidade exterior, deste modo, quanto mais rica for a experiência humana, maior será o material disponível para as imaginações que irão se materializar nos seus jogos.

Ela começa com uma situação imaginária, que é uma reprodução da situação real, sendo que a brincadeira é muito mais a lembrança de de alguma coisa que de facto aconteceu, do que uma situação imaginária totalmente nova. Conforme a brincadeira vai se desenvolvendo acontece uma aproximação com a realização consciente do seu propósito.


No jogo de faz-de-conta, a criança passa a dirigir o seu comportamento pelo mundo imaginário, isto é, o pensamento está separado dos objectos e a acção surge das ideias. Assim, do ponto de vista do desenvolvimento, o jogo de faz-de-conta pode ser considerado um meio para desenvolver o pensamento abstracto.

Mas além de ser uma situação imaginária, o brinquedo é também uma actividade regida por regras. Mesmo no universo do "faz-de-conta" há regras que devem ser seguidas.
Ao brincar de autocarro, por exemplo, a criança exerce o papel de motorista.
Para isso, tem que tomar como modelo os motoristas reais que conhece e extrair deles um significado mais geral e abstracto para a categoria "motorista".
Para brincar conforme as regras, tem que esforçar-se para exibir um comportamento igual ao do motorista, o que a impulsiona para além de seu comportamento como criança.
Tanto pela criação da situação imaginária, como pela definição de regras específicas, o brinquedo cria uma zona de desenvolvimento proximal na criança. No brinquedo a criança comporta-se de forma mais avançada do que nas actividades da vida real e também aprende a separar objecto/significado.
Retirado e adaptado de um artigo de Cristina Telles

O nascimento de um irmão


"Apesar do momento de felicidade que é para uma família o nascimento de uma criança, para um irmão mais velho este pode ser o início de um "pesadelo" e, assim, para os pais, que se dividem entre o contentamento de terem um novo filho e a necessidade de atenção de outro que, apesar de mais velho, continua uma criança. Quando a diferença de idades é superior a dois anos, maior será essa dificuldade.

Essas dificuldades são perfeitamente naturais e fazem inclusivamente parte da natureza humana: se normalmente temos dificuldade em dividir qualquer coisa, para uma criança é mais difícil dividir o carinho e a atenção dos seus pais. Por isso os ciúmes são perfeitamente aceitáveis, pelo que não há motivos para os tentar eliminar.

Após o nascimento do irmão, são totalmente compreensíveis tentativas de regressão por parte da criança (comportamentos mais infantis, relativos a fases entretanto já passadas). Tal é perfeitamente natural e, é dessa forma que deverão ser encaradas pelos pais: nunca se deve criticar nem contrariar (dentro do razoável) os pedidos de biberão ou chucha, por exemplo. Desta forma, contribui-se para que a criança se sinta aceite e amada como anteriormente ao nascimento do irmão.

Em relação aos ciúmes, deve-se enfrentá-los com descontracção e aceitação de algumas atitudes de intolerância reveladas pela criança. Os pais devem ter o cuidado de assegurar, através de palavras e gestos carinhosos, o lugar especial que o filho mais velho tem nos seus corações. Nunca se deve colocar a criança de parte, e permitir-lhe até, sempre que possível, que participe em tarefas simples que envolvam o bebé, juntamente com os pais.

Sempre que possível, é muito vantajoso procurar mostrar que o bebé gosta do irmão mais velho, que se acalma e sorri quando está com ele, procurando criar uma atmosfera positiva nestas situações de forma a que exista uma simpatia mútua.

É fundamental facilitar que os sentimentos negativos sejam expressos, por exemplo dizendo: "eu sei que é difícil para ti dividir as atenções com o teu irmão", de forma a evitar ou atenuar os sentimentos de culpa resultantes."

Psicólogo Bruno Pereira Gomes

terça-feira, 23 de março de 2010

Psicomotricidade na EB2,3

Algumas imagens da expressão motora com o professor Tadeu.





DIA DO PAI

No Dia do Pai oferecemos um cabide com desenhos feitos por nós, com marcadores de acetatus.
Achamos que é uma boa oportunidade, para os pais que ainda o não fazem, começarem a guardar as suas roupas no roupeiro, neste bonito e afectivo cabide.

Fizemos um postal e ainda um desenho no embrulho, onde desenhamos o que achávamos o que o nosso pai era, a partir da história Pê de Pai.









FELIZ ANIVERSÁRIO

Como estava feliz a Joana...A sua mãe pregou-lhe uma partida, e quando ela menos esperava, ficou a saber que ía festejar o seu aniversário na escola.
Como ela estava emocionada...
Ficam aqui duas fotos que pela expressão do seu rosto mostram como esta menina/mulher é tão sensível.

PARABÉNS JOANA







sábado, 13 de março de 2010

No pavilhão da EB2,3

Conforme o prometido vão aqui algumas fotos dos meninos no pavilhão da EB2,3. Este é o grupo dos mais pequenos, para a semana colocarei o grupo dos mais velhos também.





Dia da Mulher

No Dia da Mulher, conversamos um pouco sobre as diferenças que as crianças encontravam entre o homem e a mulher, falamos sobre os direitos das mulheres e dos homens e o tema foi-se desenrolando. Todos queriam intervir, por vezes para se repetirem, mas dar a opinião era importante.
Vou colocar aqui as frases, saídas das suas bocas:
_ "As mulheres mandam nos homens".(H)

_ "Quando as mulheres dizem alguma coisa, os homens têm que respeitar".(H)

_ "As mulheres são mais bem educadas que os homens e tem mais respeito pelas coisas". (J)

_ "Têm que se deixar a mulher descansar e deixar fazer o que ela quer" (J)

_ "Quando as mulheres precisam de ajuda os homens têm que ajudar".(M)

_ "Quando as mulheres dizem alguma coisa, os homens têm que acreditar". (J)

_" Os homens tem que ajudar as mulheres a lavar a loiça". (M)

_ "As mulheres tem que mandar os homens ajudar a arrumar".(G)

_"Dantes as mulheres não podiam pôr-se bonitas".

_ "Dantes as mulheres não podiam sair com calças". (M)

_ "As mulheres às vezes precisam de dinheiro e os homens não dão." (M)

_ "Os homens não deixam as mulheres saírem e depois quando os homens não estão elas já podem sair".(M)

Os meninos fizeram o desenho da mãe/mulher com corações colados











PIMPONA, A GALINHA TONTA


Na semana da leitura, as crianças do JI de Maceda foram à Biblioteca do Agrupamento ouvir a história, "Pimpona a galinha tonta".

Esta história foi contada pela educadora Lina Correia e ilustrada pelo professor Ruben Faria. Enquanto estava a ser contada ia sendo ilustrada em papel de cenário.

A partir destas imagens e recorrendo ao livro, recreei a história com partes do texto original, mas tornando-a menos extensa, de acordo com as imagens de que dispunha.

Foi uma forma de fazer recordar este dia.
Agora vou apresentá-la aos meninos e eles vão concerteza perceber o que aconteceu com a história.


domingo, 7 de março de 2010

No pavilhão da EB2,3

Começamos esta semana a fazer a nossa actividade desportiva no pavilhão desportivo da Eb2,3.
Fomos reconhecer o espaço e já fizemos muitas actividades que nos deixaram a transpirar.

Lá, temos trampolins, colchões grossos, imensas bolas, escadas na parede, bancos de ginástica....
E ainda não vimos tudo, porque no outro pavilhão há balizas, cestos de basquete muito altos onde nunca vamos poder acertar com uma bola etc...

Pode ser que alguém que esteja a ver este blog (Associação de Pais, Conselho Directivo, ou alguma alma boa), possa arranjar um ou dois cestos para serem colocados mais em baixo.

Isso é que ia ser muito fixe. Até podiam ser já usados, que nós não nos importamos.

A professora vai tentar falar com algumas pessoas a ver se consegue.

Como a professora se esqueceu de levar a máquina fotográfica, fizemos registos gráficos, mas nestas imagens não dá para ver a nossa alegria.

Para a próxima semana, tiramos fotos para os nossos pais nos poderem ver.

E não se esqueçam de nos dar o respectivo banho quando chegarmos a casa.
Isso é que era o ideal.







CORDÃO HUMANO

Dia 1 de Março, na nossa escolinha realizamos um cordão humano, em que cada menino/a trazia uma moeda para colocar numa caixa e assim poderem ajudar as crianças que sofreram da catástrofe que aconteceu no Haiti.

A caixa passou para o 1.º Ciclo para fazerem o mesmo.
Só não o fizemos juntos porque estava de chuva e o nosso jardim de infância está a uma distância apróximada de 1Km da EB1.

Para podermos compreender a importância do que estavamos a fazer,a professora mostrou-nos imagens do youtub, onde se podia ver toda a destruição, mortes e doenças que lá existiam.



Os meninos aprenderam uma canção inventada pela professora Lina, que está com os meninos da sala 1. Nós fizemos o registo.




sábado, 6 de março de 2010

Destreza óculo manual

Porque o Professor Tadeu mencionou que as crianças ao fazerem actividade desportiva, tinham muitas dificuldades ao nível da destreza óculo manual, decidi reforçar actividades que favoreçam esta competência.

As crianças adoram bolas, e ao fazerem estes jogos estão a desenvolver a atenção e concentração, a capacidade de relacionar o espaço com a distância, a desenvolver a capacidade de observação, a terem melhores reflexos........

Depois o nosso professor nos dirá alguma coisa, agora vamos fazer estes jogos com mais frequência.



PORTUGAL


Como se tem falado na sala em países, acerca das tempestades, sismos, destruição, fome, morte etc, fomos buscar o mapa do mundo para situar estes países.
Também vimos o Globo e a Joana disse que o Planeta Terra têm mais água que terra.
Sabemos que existem outros planetas, como Mercúrio, Vénus e Marte etc... mas não sabemos o nome de todos.

Claro que tivemos que ter um país de referência e por isso estivemos a ver onde ficava localizado Portugal Continental e as Ihas da Madeira e dos Açores.

Pintamos o mapa, escrevemos alguns distritos a partir do que tínhamos à nossa frente.
Pintamos a bandeira de Portugal e ouvimos o Hino Nacional.
Aprendemos várias coisas sobre Portugal, não muitas, porque somos pequeninos e quando chegarmos à escola vamos aprender tudo muito melhor:
  • Portugal é banhado pelo Oceano Atlântico.
  • Têm a forma de um rectângulo.
  • Têm muitas terras, umas maiores outras mais pequenas.
  • A capital de Portugal é Lisboa.
  • O Norte fica lá em cima, o Sul fica lá em baixo e no meio é o Centro de Portugal.

Quando os meninos acabarem este trabalho vamos descobrir onde fica o Haiti.

Loja Fixe


A Loja Fixe foi o nome encontrado para a nossa lojinha.
Mas, para isso tivemos que proceder a uma eleição que durou dois dias.

Alguns meninos estavam a faltar e não puderam votar naquele dia.

Estiveram em cima da mesa várias propostas, mas a que teve mais votos foi a Loja Fixe.

Alguns meninos trouxeram caixas de casa, que enchemos com papeis velhos e pusemos fita cola para não se abrirem e durarem mais tempo.

Aproveitamos os iogurtes vazios do lanche, lavámo-los e colocamos tudo arrumadinho dentro de duas caixas.
A mãe da Francisca foi muito colaborante neste pequeno projecto de construção da loja.

Passamos a uma segunda fase que foi, a necessidade por eles sentida de terem dinheiro para fazerem as compras.
A professora imprimiu notas e moedas, plastificou e até parecia dinheiro a sério.
E o dono da loja tinha que fazer as contas.
A verdade é que aqui, nesta lojinha, tudo era a 1€, 2€ e 3€ e o vendedor ia somando e fazia o total, num livrinho improvisado.

Na nossa loja não se fica a dever, mas tudo tem que ser registado, até o nome do menino ou menina que fez as compras. Como não temos máquina registadora, termos que fazer à mão, como antigamente.
"E ainda agora se faz" acrescenta a Joana sempre atenta a tudo o que se diz.

Afinal já tinham aprendido a fazer somas com o jogo já aqui apresentado.

Claro que fui dando no inicio uma ajudinha. Cada euro correspondia a uma bolinha que o vendedor colocava por baixo de 1€
Ex 1€+1€+2€+3€ = 7€
Ex o o oo ooo = 7
Ainda não passamos aos trocos, vamos ver se chegaremos lá.
Mas o jogo simbólico continuava, dentro do "Faz de Conta" afinal é necessário estarmos todos arranjados para nos sentirmos bem.