sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

VISITA DO PAI NATAL

Como não podia deixar de ser, o Pai Natal veio ao nosso Jardim de Infância. Quando o vimos, corremos todos para o largo da igreja. Foi uma alegria. É tão bom receber presentes. E ver que o Pai Natal não se esqueceu de nós.
Um agradecimento especial à associação de pais que tornou este dia especial.









sábado, 12 de dezembro de 2009

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

REPRESENTAÇÃO DA HISTÓRIA "O NABO GIGANTE"

A história do "nabo gigante", é representada por uma equipa espectacular, cujo blog já adicionei ao nosso, para que todos possam ter a oportunidade de os contactar se precisarem.

A história é magnífica e o único actor que a representa transmite-lhe características muito próprias, divertidas e atractivas. As crianças não afastavam os olhos do palco e mantinham-se em silêncio, comportamento comprovativo do seu envolvimento e apreciação pela representação da história.
Esta história foi representada pelo grupo "Elemento Marioneta".
Vale a pena os vossos meninos verem.


HISTÓRIA DO NABO GIGANTE

domingo, 6 de dezembro de 2009

Os jogos de psicomotricidade e o professor Tadeu

As crianças adoram este momento. Perguntam se é quinta feira e se o professor vai estar com eles. São jogos atrás de jogos, de acordo com as idades.
E o professor tem um jeitinho especial para trabalhar com eles. Eles divertem-se, vê-se que estão felizes.
As crianças colaboram, as educadoras e as auxiliares acompanham-nas.
No fim um relaxamento que eles respeitam e que interiorizam apesar de pequeninos.
Até já foram contar para casa. Tudo isto é bom....muito bom...


Dentro e Fora

A Francisca esteve a exemplificar o que é dentro e fora do circulo.
Os legos teriam que ser colocados dentro do circulo e ela também e vice-versa.

Temos que continuar com estas brincadeiras, também com os outros meninos, sobretudo os mais novinhos.
Por vezes pensamos que certos conceitos estão adquiridos e quando vamos a ver, precisam de um limadela.






Depoimento de uma mãe com uma criança com NEE

Bem-vindo à Holanda!

Frequentemente sou solicitada a descrever a experiência de dar à luz uma criança com deficiência – uma tentativa de ajudar pessoas que não têm com quem compartilhar essa experiência única, a entendê-la e imaginar como é vivenciá-la.
Seria como...

Ter um bebé é como planear uma fabulosa viagem de férias – para a Itália! Você compra montes de guias, faz planos maravilhosos. O Coliseu. O David de Miguel Ângelo. As gôndolas de Veneza. Você pode aprender algumas frases simples em italiano. É tudo muito excitante.

Após meses de antecipação, finalmente chega o grande dia. Você arruma as suas malas e embarca. Algumas horas depois você aterra. O comissário de bordo chega e diz: -
"Bem vindo à HOLANDA !"

"HOLANDA!?! " diz você – "O que quer dizer com Holanda?? Eu escolhi a Itália! Eu devia ter chegado à Itália. Toda a minha vida eu sonhei em conhecer a Itália".

Mas houve uma mudança no plano de voo. Eles aterraram na Holanda e é lá que você deve ficar.
A coisa mais importante é que eles não o levaram a um lugar horrível, desagradável, cheio de pestilência, fome e doença. É apenas um lugar diferente.

Logo, você deve sair e
comprar novos guias. Deve aprender uma nova linguagem. E você irá encontrar todo um novo grupo de pessoas que nunca encontrou antes. É apenas um lugar diferente. É mais baixo e menos ensolarado que a Itália. Mas, após alguns minutos, você pode respirar fundo e olhar ao redor... e começar a notar que a Holanda tem moinhos de vento, tulipas e até Rembrandts e Van Goghs.

Mas, todos que você conhece estão ocupados indo e vindo da Itália... e estão sempre a comentar o tempo maravilhoso que passaram lá. E por toda a sua vida você dirá: "Sim, lá era onde eu deveria estar. Era tudo o que eu tinha planeado."

E a dor que isso causa
nunca, nunca irá embora... porque a perda desse sonho é uma perda extremamente significativa.

Porém... se você passar a sua vida toda remoendo o facto de não ter chegado à Itália, nunca estará livre para apreciar as coisas belas e muito especiais... sobre a Holanda.
(Emily Perl Knisley, 1987)